Pacheco Pereira e o Público; uma oportunidade perdida?

A pergunta é esta: se daqui a umas semanas se mostrar a edição de hoje do Público a um leitor habitual e lhe retirarmos o nome do director, ele perceberá/lembrar-se-á facilmente que foi a edição de Pacheco Pereira?

Dificilmente.

Acho que Pacheco Pereira perdeu uma oportunidade de fazer um jornal diferente – e essa terá sido a ideia do Público, um jornal de que nos pudéssemos lembrar daqui a umas semanas (ou mais…). Em vez de um jornal diferente, foi mais do mesmo (não necessariamente mau nem necessariamente bom, apenas igual).

Está lá a infografia comparada das informações sobre o Casino de Lisboa, mas – reconheça-se – é muito pouco.. Porque o que se ganhou foi apenas, provavelmente, uma nova consciência do que é o jornalismo por parte do ex-director: «o director por um dia esqueceu-se de que a realidade e a vontade não caminham à mesma velocidade. Não houve tempo, e não se obtiveram fontes sólidas para algumas notícias».