ACTx2 Pinto da Costa n(o Hospital d)a Luz; a acompanhar

O Expresso online apresenta «em exclusivo» a seguinte notícia: «Pinto da Costa deu entrada hoje, cerca das 13 horas, no serviço de urgências do Hospital da Luz. Segundo apurou o Expresso, o presidente do FC Porto ter-se-à sentido mal e foi levado àquela unidade hospitalar, com suspeita de estar a sofrer um ataque cardíaco, tendo posteriormente saído do hospital. Contactada pelo Expresso, a administração do hospital não confirma a notícia.»

O FC Porto já desmentiu a notícia (mas nada diz na sua página, até este momento) e há pouco, depois das 16h, chegou às redacções um comunicado assinado pelo relações públicas Rui Terra dizendo o seguinte: «Informam-se todos os órgãos de comunicação que a noticia que dá conta de um principio de enfarte ao Sr. Jorge Nuno Pinto da Costa, é falsa e absolutamente infundada, o Sr. Pinto da Costa está bem, o casal dirige-se para Setúbal para o jogo de hoje á noite. Partiram do Porto por volta das 12H20 e acabaram de chegar a Setúbal eram 16H10, uma vez mais agradecemos a Vossa atenção e colaboração no que respeita a desmentir tão disparatada noticia. (sublinhados meus)».

Agora – uma hora depois – é o Expresso que parece que desmente: «Crete nas suas duas fontes o Expresso optou, então, por avançar com a notícia, embora ressalvando que a administração daquela unidade hospitalar não confirmava oficialmente o teor da mesma.». Sei que esta posição é recusada por muitos, mas das duas uma: ou as fontes não disseram exactamente assim, e o jornal ‘abusou’, ou disseram e enganaram o(s leitores do) Expresso. Não deveriam ser identificadas?

ACTualizo a 16/04: está visto que o Expresso foi enganado e meteu água. A questão, se me permitem, é esta: as coisas ficam assim? os leitores são estúpidos? Passaram 24 horas sobre a primeira notícia e não há uma explicação ou um pedido de desculpas.

Volto a actualizar com o comunicado da Direcção do Expresso: «(…) temos hoje de reconhecer que a informação da entrada de Jorge Nuno Pinto da Costa no Hospital da Luz não tem qualquer sustentação, pelo que jamais devia ter sido publicada. (… tanto quanto é possível saber, no processo de confirmação da notícia não foram cumpridas normas exigíveis pelo Código Deontológico dos Jornalistas e pelo Código de Conduta dos Jornalistas do Expresso. (…) Deliberou ainda, ouvido e com a plena concordância do Conselho de Redacção, eleito pelos jornalistas, publicar este comunicado no seu site e na edição semanal e dele dar conhecimento directo aos envolvidos.»